Partido Patria Livre

Filie-se ao PPL!

PPL-Nacional

Partido Pátria Livre lança quatro pré-candidatos a presidente da República

O Partido Pátria Livre (PPL) aprovou, neste final de semana, o lançamento de quatro pré-candidaturas à Presidência da República para as eleições de 2018. Em reunião do diretório nacional realizada no sábado (18) e domingo (19), no auditório do Clube Atlético Ypiranga, em São Paulo, foram definidos os nomes de João Vicente Goulart, filho do ex-presidente João Goulart e vice-presidente nacional do PPL; Léo Alves, advogado e representante do Movimento Cívico Nacional; Ildo Sauer, professor, cientista da Universidade de São Paulo (USP) e defensor da Petrobras; e Marcelo Monteiro, presidente nacional do Partido Popular da Liberdade de Expressão Afro-Brasileira (PPLE), presidente do Centro de tradições Afro-brasileiras (CETRAB) e também vice-presidente do PPL. Durante os próximos meses, os quatro pré-candidatos irão percorrer o Brasil inteiro para divulgar as ideias do partido, e no final de março do ano que vem o Pátria Livre vai escolher o único candidato que irá disputar a Presidência da República.

Abaixo assinado na Praca Ramos
DiretorioNacionalReuniaoSP

PPL Maranhão

Memória
O desafio dos partidos, José Pereira dos Santos - Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Guarulhos e Região.

Sérgio Rubens de Araújo Torres - Presidente Nacional do Partido Pátria Livre (PPL)

Do meio do primeiro governo de Dilma para a frente, a agenda neoliberal passou a predominar largamente, e, agora, integralmente...

Ubiraci Dantas de Oliveira - Presidente do Congresso Nacional Afro-Brasileiro (CNAB) e Secretário Regional do PPL Bahia

"O Brasil é uma obra, sobretudo, dos negros. A luta pelo fim da sua opressão e pela igualdade racial é uma luta de todos os brasileiros".

Rosanita Campos - Vice-presidente do Partido Pátria Livre Secretária Nacional da Mulher do PPL

A mulher, a mãe, a cidadã, a trabalhadora, ela tem filho, ela amamenta, ela cuida da casa e, por ser mãe, não pode ser condenada às quatro paredes do lar, a não ter um salário, a não ter autonomia, a não ter independência, a não ter a sua condição de mulher, que é a maternidade, respeitada.